Varinia Canto Vila (CL) é uma bailarina e coreógrafa que vive entre Bruxelas e Santiago do Chile. Licenciou-se como bailarina na Universidade do Chile em 1993 e nas PARTES em 1999. Em 2014, formou-se na Universidade de Goldsmiths de Londres, onde concluiu um mestrado em teoria sobre a relação entre Arte e Política. Em Janeiro de 2017, concluiu uma pós-graduação em a.pass (Advanced Performance and Scenography Studies), em Bruxelas, na qual desenvolveu trabalho performativo e vídeo. Em 2004, criou Making of, um solo com o apoio de ‘Dans in Kortrijk’. Em 2010, Canto Vila estreou o seu solo During Beginning Ending, premiado pelo Prix Jardin d’Europe 2009 na categoria work-in-progress. Em 2017, ela criou um duo ao sujar as mãos, estreado no Kunstencentrum Buda Kortrijk. Canto Vila colaborou com vários artistas e coreógrafos como bailarina. Embora em algumas ocasiões estivesse interessada no uso da técnica como um desafio artístico, a sua carreira como bailarina tem estado principalmente interessada no trabalho daqueles coreógrafos cuja pesquisa do movimento concebe o corpo como um todo, onde o corpo da bailarina não predomina necessariamente sobre o corpo da própria pessoa. Sob esta abordagem, tanto no seu trabalho como bailarina como coreógrafa, Canto Vila explorou corpos reais e fictícios, onde o imperativo da técnica académica da bailarina e uma linguagem codificada são desconstruídos e esquecidos na sequência da emergência de outros corpos possíveis. Sob esta perspectiva, Canto Vila trabalhou e colaborou para vários coreógrafos/representações independentes em Bruxelas em que se encontram: Lilia Mestre, Claire Croizé, Marcos Simoes, Mette Edvardsen, Thomas Steyaert e Raul Maia Claire Croizé, Marcos Simoes, Mette Edvardsen e Thomas Steyaert e Raul Maia. Também trabalhou e colaborou com Meg Stuart e Damaged Goods na auto-estrada 101 (2000) e VIOLET (2011).

Categorias: Artistas

0 comentários

Deixe uma resposta

Avatar placeholder

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *