Primavera Dança, um encontro de dança e artes performativas. Dirigido ao público jovem e famílias, de 15 a 18 de maio de 2024.

Em vários locais da cidade de Lagos e na Quinta Regenerativa Vale da Lama (Odiáxere)

4 dias de espetáculos, arte comunitária, mostras de residências artísticas, workshops, laboratório, tertúlia, conferência sobre Arte & Regeneração Social e jam de Contact Improvisation com música ao vivo.

Em parceria com uma rede de entidades sócio-culturais e artísticas da região, o projeto visa desenvolver laços sólidos com a comunidade, fomentar a arte participativa e, assim, promover um ambiente de colaboração, pertença e o bem-estar de todos.

SOBRE O FESTIVAL
Visão do festival

A PRIMAVERA DANÇA tem como objetivo principal, estimular os jovens a reconhecerem nas artes, o seu papel essencial na sociedade. A dança e as artes performativas são não apenas uma forma de desenvolvimento individual, mas sobretudo promovem a inclusão, a liberdade de pensamento, a sustentabilidade e o bem-estar mental individual e social. Através da criação de pontes colaborativas entre estruturas e fomentando a arte participativa, o festival foi desenhado para criar laços sólidos com a comunidade, de forma a promover um ambiente de colaboração e crescimento sustentável.

Pilares do Festival

Público jovem. Arte performativa contemporânea para jovens. Espetáculos  especialmente concebidos para o público juvenil com conteúdos atuais e de alto valor artístico e que incluem intérpretes jovens. 

A inclusão é um valor fundamental para nós e o objetivo é incluir todas as pessoas, proporcionando, a nível da acessibilidade física, os acessos a cadeiras de rodas, criando espetáculos com os recursos de interpretação integrada em Língua Gestual Portuguesa e audiodescrição. A edição deste ano conta com debate e demonstração de boas práticas sobre acessibilidade para todos nas artes contemporâneas.

Arte com a comunidade. Enquadrar projetos com apresentação pública que envolvam a comunidade amadora e curiosa local. Arte em espaço público, coro, espetáculos participativos, entre outros.

Mostra de artistas apoiados.  Apresentações públicas em formatos diversificados, resultantes do acolhimento em residências artísticas. Nasce da premissa de criar oportunidades para artistas locais emergentes e jovens talentos apresentarem-se publicamente,  apoiando assim uma nova geração de artistas na região.

Sustentabilidade social. Cocriação e  parcerias com associações, escolas e estruturas de várias naturezas. Colaborações com rede local, regional, nacional e internacional (projeto europeu CREA.RE – Europa Criativa).

Equipa

Uma Iniciativa AORCA / Câmara Municipal de Lagos | Conceito e Direção Artística: Sofia Brito | Programação Colaborativa: Sofia Brito, Alicja Gladysz, Luana Fernandes e Manuela Tavares | Produção: AORCA | Coordenação de Produção: Alicja Gladysz e  Manuela Tavares | Produção Executiva: Alicja Gladysz, Luana Fernandes, Manuela Tavares e Sofia Brito | Design Gráfico & Comunicação:  Luana Fernandes | Site: Sarah Gelinski | Coordenação Técnica: Carlos Da Cruz | Produção Audiovisual: Joel Filipe Duarte

Agradecimentos:

Câmara Municipal de Lagos pela co-produção do festival, cedência dos espaços, apoio com equipamento, técnicos e divulgação.

Junta de Freguesia São Gonçalo de Lagos pelo apoio na divulgação e cedência do equipamento.

CASLAS (Centro de Assistência Social Lucinda Anino dos Santos) pela colaboração e dinamização da Rede Crescer Juntos (IAC) com projetos artísticos que fazem a diferença na vida dos jovens.

Quinta Orgânica Regenerativa Vale da Lama e Projecto Novas Descobertas pelo acolhimento, cedência dos espaços e equipa.

Associação Ijshaamanka (Itália) pelo convite de integrar a rede europeia Creative Resilience Shapers (CREA-RE), e aos parceiros: Sala Fênix (Espanha) e Saine Ensemble (Finlândia). 

Teatro Experimental de Lagos pela cedência de material e apoio na divulgação.

Todos os parceiros e artistas desta edição, por aceitarem o convite e integrarem o programa com a sua contribuição valiosa: Instituto de Apoio a Criança, Questão Repetida, Projeto Gatilho, Urban Dance Studio, Coro da Gente, Santuka na Mata, Orla Design, Nome Próprio, Companhia Nacional de Espetáculos, Terra Amarela, Lavrar o Mar, Plano Nacional das Artes e Agrupamento Escolar da Bemposta.

Todos os sócios e colaboradores de AORCA que tornaram este evento possível.

SOBRE A AORCA

AORCA foi criada para enquadrar e estruturar a criação artística da artista fundadora Sofia Brito, apoiar e estimular a criação em dança contemporânea e artes associadas na região e criar pontes entre artistas e comunidades. Socialmente a sua fundação foi também inspirada pela ameaça que se vivia no Algarve, com a potencial exploração petrolífera na costa de Aljezur em 2017, ao reconhecemos a falta de sensibilização ecológica junto dos jovens e escolas.

Unindo estas duas necessidades nasceu a visão e missão de estimular a criação artística contemporânea com valores de regeneração ambiental e social. A AORCA é assim uma estrutura de criação artística visionária para a sensibilização à observação crítica e informada da atualidade, o empoderamento à liberdade de pensamento, estimulando o poder cívico e dinamizando a criatividade pessoal e cooperação. A associação aspira criar um movimento participativo juvenil.

As actividades que desenvolvemos visam a sensibilização para a cidadania global, Educação para o Desenvolvimento Sustentável, ou seja, a arte na educação enquanto motor de transformação social no sentido da prevenção e do combate às desigualdades sociais, do combate à discriminação, da promoção do bem comum, da inclusão, da interculturalidade, da justiça social, da sustentabilidade, da solidariedade e da paz, tanto a nível local como a nível global.

Desde 2023, AORCA faz parte do CREA-RE, um projeto europeu promovido por Ijshaamanka em colaboração com Sala FènixSaine Ensamble que visa criar comunidades locais inclusivas e sustentáveis através da dança e do teatro. 

Creative Resilience Shapers é uma rede internacional e sustentável de artistas, organizações e festivais, que quer proporcionar mais oportunidades de desenvolvimento pessoal e profissional para jovens artistas com menos oportunidades (deficiências mentais e físicas, antecedentes migratórios, obstáculos geográficos), sensibilizando e trazendo o público a nível local sobre a importância da inclusão social e da sustentabilidade ambiental.

Mais informações: CREA.RE 

Foi criado o manual do projeto CREA.RE, que pode ser descarregado AQUI

PROGRAMAÇÃO
Dia 15 de Maio

Sessão de abertura

15 de maio às 14h30

Centro Cultural de Lagos

Boas-vindas  ao Primavera Dança!

VAMOS FALAR SOBRE por Sofia Brito

Teatro e Dança

15 de maio às 15h30

16 de maio às 10h30  

Centro Cultural de Lagos

50min | M14 | 5,00€

Espetáculo participativo com jovens estudantes de artes. Dar voz a questões, tabus e incoerências que estão presentes na sociedade contemporânea e que afetam a saúde mental dos jovens de hoje. Depois de vários temas fomos pelo caminho de decodificar jogos invisíveis de poder: ‘O que é e que não é… Privilégio? o que estamos a construir para o futuro?’

 

Foto © Nuno Borges

Workshop de dança AFRO FUSION por Sarah Donkor

15 de maio às 17h00

Mercado do Levante de Lagos | Viv’o Mercado

Sarah Donkor tem tudo a ver com dança. Ela é proprietária do Urban Dance Studio Lagos e de raízes de uma mistura de Bélgica, Argélia e Gana. Ela dança desde os seis anos, começou com o jazz, mas mudou para o hip hop aos 14 e nunca mais olhou para trás.

Ela dança todos os tipos de estilos de dança como popping, locking, house dance, hip hop e muito mais. Mas quando descobriu suas raízes ganenses, apaixonou-se pelos estilos de dança afro. Em Gana, ela explorou o afrobeat e até dançou para a famosa cantora afro Eugy. Todos os anos, ela viaja para aprender mais com dançarinos famosos em workshops como Be Afrika na França, Oyofe Festival na Espanha e Afro Drip em Amsterdão.

Sarah tem certificados de diferentes academias de dança (da França e dos EUA) e chegou a ser votada como a favorita dos professores. Ela também faz videoclipes para artistas, e ela tem tudo a ver com se divertir enquanto dança.

Seu maior objetivo é espalhar positividade e inspirar pessoas, crianças e adultos, com sua vibe alegre e enérgica. Através de seu estúdio de dança, ela quer criar um lugar onde todos se sintam bem-vindos e possam se divertir dançando juntos.

 

Flash Mob de imobilidade do Viv’o Mercado
15 de maio às 18h30 

Mercado do Levante de Lagos | Viv’o Mercado

Ponto de encontro : 18h00 na PONTE DA MARINA

Participação espontânea. Qualquer pessoa pode participar. Tema: FREEZ / IMOBILIDADE das 18h30 às 18h35 (5 min)

Sessão de esclarecimentos e ensaios: 10/05 às 19h30 no Ginásio da escola Júlio Dantas. Para quem quiser preparar-se!

Sejam bem vindos e venham numerosos.

Quantos mais melhor !!

Dia 16 de Maio

VAMOS FALAR SOBRE por Sofia Brito

Teatro e Dança

15 de maio às 15h30

16 de maio às 10h30  

Centro Cultural de Lagos

50min | M14 | 5,00€

Espetáculo participativo com jovens estudantes de artes. Dar voz a questões, tabus e incoerências que estão presentes na sociedade contemporânea e que afetam a saúde mental dos jovens de hoje. Depois de vários temas fomos pelo caminho de decodificar jogos invisíveis de poder: ‘O que é e que não é… Privilégio? o que estamos a construir para o futuro?’

 

Foto © Nuno Borges

Conferência ARTE e REGENERAÇÃO SOCIAL

16 de Maio de 2024, 14h30 – 18h30

Centro Cultural de Lagos

Que papel pode a arte desempenhar no desenvolvimento da sociedade? Podem a arte, a cultura e a criatividade inspirar a mudança? Como podem os artistas e outros atores culturais contribuir para a criação de soluções inovadoras para os desafios na atualidade?

Esta conferência tem como objetivo partilhar e refletir criticamente sobre as práticas artísticas enquanto impulsionadoras de mudança e de transformação pessoal e social.

Através do diálogo entre profissionais do setor cultural – abordando questões urgentes como justiça social, inclusão, sustentabilidade e muito mais – pretende-se abrir um debate público sobre o presente, lançando também um olhar para o futuro, procurando compreender o papel da arte na sociedade contemporânea e na busca de novas soluções para garantir uma melhor qualidade de vida e a construção de comunidades mais vibrantes, inclusivas e resilientes.

Moderação 

SOFIA BRITO – Bailarina e Coreógrafa, Diretora Artística e Presidente da Direção da AORCA – Associação de Observação, Regeneração e Criação na Actualidade;

 

Orador(a)s

MADALENA VICTORINO – Coreógrafa, Diretora Artística da LAVRAR O MAR Cooperativa Cultural;

MARCO PAIVA – Ator e Encenador, Diretor Artístico da TERRA AMARELA Associação Cultural;

PAULA PAÇÓ – Responsável pela área da Cooperação nacional e Internacional do IAC – Instituto de Apoio à Criança;

ANA BELA CONCEIÇÃO  – Coordenadora Intermunicipal do Plano Nacional das Artes (PNA).

SARA COELHO – Vereadora da cultura – Câmara Municipal de Lagos.

 

No final da conferência assistir-se-à à projeção do espetáculo “MARGEM” por Victor Hugo Pontes

“Margem” tem como inspiração um romance de Jorge Amado, Capitães da Areia (1937), que retrata um grupo de crianças e adolescentes abandonados a viverem nas ruas de São Salvador da Baía. Têm de roubar para comer, e dormem num trapiche – um armazém onde, como uma espécie de família, se protegem uns aos outros e sobrevivem a um dia de cada vez. Oitenta anos depois, e conscientes de que nem sempre há finais felizes, questionamos quem são os novos capitães da areia, olhando para a realidade social de crianças cujo percurso sai do trilho comum.

 

Foto © José Caldeira

Dia 17 de Maio

Mostra da Residência Artística de AORCA: Passeio Sensorial por Mieke Maria

17 de maio às 10h30

Quinta Vale da Lama, Odiáxere (ponto do encontro: Dome)

Durante esta exploração imersiva ao ar livre, mergulhamos profundamente nas nossas estruturas corporais enquanto nos mantemos ligados aos estímulos exteriores. Começamos com uma viagem guiada como um convite para encontrar mais terreno e estabelecer raízes profundas. Por vezes com os olhos vendados, seguimos um caminho rico e biodiverso. A caminhada alternada com Partituras de Movimento desenvolvidas para aprofundar ainda mais a nossa consciência sensorial, integrando assim as paisagens interiores e exteriores. Terminamos com um círculo de partilha que convida a refletir sobre a questão do que significa ser um animal humano.

As práticas de Movimento e Dança de Mieke centram-se em torno de: Orientação de “Movimento”, “Desenho” e “Poesia” autênticos, explorando as viagens imaginativas; Investigação de estratégias de (Contacto)-Improvisação e Composição Instantânea, questionando a relação entre o ‘eu’, o ‘outro’ e o ‘espaço’; Explorar a filosofia incorporada // consciência sensorial e a sua transcrição no domínio da dança.

Mieke Maria (BE-1979) é uma facilitadora de movimento, investigadora independente e trabalhadora corporal apaixonada. Atualmente vive em Portugal onde apoia a dança e a improvisação de movimento em colaboração com a AORCA, Arrabida Dance Labs e La Casa Del Corpo. Mais sobre em www.mikosplace.com

Tertúlia INCORPORAR A REGENERAÇÃO por Orla Design

17 de maio às 15h00

Centro Cultural de Lagos

 

Regeneração é um conceito ao qual a Orla Design tem dado corpo através da facilitação de espaços colaborativos e de envolvimento cívico, trazendo o ser humano de volta para processos baseados na natureza e na relação com o lugar.

Nesta tertúlia vamos questionar em conjunto como podemos incorporar culturas regenerativas em diferentes contextos, como nos tornamos parte consciente dos ecossistemas em que vivemos e encontramos formas de navegar a complexidade em tempos de desafios sem precedentes.

 

Orla Design é um coletivo de designers e facilitadores com mais de dez anos de experiência em Culturas Regenerativas e Processos de Aprendizagem desenvolvendo e atuando com ferramentas de design colaborativo da paisagem e de auto-organização. Tem desenvolvido trabalho de sensibilização e capacitação para a regeneração ecológica e social de impacto local na bioregião do Sudoeste Algarvio, em diferentes áreas do país e em colaboração com parceiros europeus. O propósito do coletivo é dar respostas e capacitar para respostas necessárias e urgentes aos problemas sistémicos que enfrentamos como sociedade, através de processos baseados na natureza que fortalecem a resiliência das comunidades locais. Website: http://www.orladesign.org/

Workshop de DANÇA CRIATIVA por Albina Petrolati

17 de maio às 17h00

Centro Cultural de Lagos

A dança como linguagem, como expressão. Pôr em análise, à discussão e partilha, ideias de improvisação,estímulos à criatividade, ao espírito de cooperação, coordenação e memória. Utilizaremos o corpo como instrumento numa relação com o espaço onde tudo acontece, o tempo, a música  e a sua dinâmica.

Espetáculo NÃO por Giacomo Scalisi | Teatro

17 de Maio | 20h

Centro Cultural de Lagos

60min | M6 | 5,00€

NÃO é um espectáculo que nasceu a partir de um diálogo entre o encenador Giacomo Scalisi e o escritor Afonso Cruz, sobre os seus livros Paz Traz Paz e O Livro do Ano, e de alguns textos inéditos que surgiram após trocas de ideias.

Desde o início desta criação havia a clara vontade de falar a todo o público, em particular às crianças e aos jovens, sobre a importância de se poder pensar em liberdade e de ser ser humano como um dos melhores antídotos para combater o ódio.

Foto ©João Mariano

Dia 18 de Maio

Laboratório EQUILIBRIUM por Ricardo Ambrózio

Dança (nível intermédio/avançado)

18 de maio das 10h00 às 13h30

Quinta Vale da Lama / Dome, Odiáxere

Inscrição: 10,00€

Um laboratório de dança contemporânea é uma estrutura imersiva com práticas técnicas e pesquisa de movimento sobre um tema específico, orientada por um artista experiente.

Jogar com a inércia e o impulso para encontrar o equilíbrio entre o esforço e o repouso. Através desta prática, Ricardo convida bailarinos, artistas e praticantes de movimento para um LAB, uma pesquisa de sustentabilidade nas práticas de dança contemporânea.

Performance da Arte e Comunidade por Santuka na Mata

18 de maio às 14h30

Quinta Vale da Lama / Projecto Novas Descobertas, Odiáxere

O grupo faz parte do Movimento Santuka, um movimento musical dedicado à percussão, especialmente à Batucada brasileira, com mais de 20 anos de existência em várias cidades espanholas. Sua missão principal é promover a integração social através da música, combinando-a com elementos teatrais, como o clown. Entre 2018 e 2020, o grupo atuou intensamente na região do Algarve, participando de festivais, oficinas e desfiles de rua.

HIP HOP por Adriel Ribeiro | Workshop

18 de Maio

15h | PND

Conheça Adriel Ribeiro, uma grande adição à equipe do Urban Dance Studio há mais de um ano. Vindo das ruas animadas do Brasil, Adriel é um verdadeiro dançarino de todos os estilos, mas seu coração bate mais forte por quebrar.

No Urban Dance Studio Lagos, Adriel partilha a sua paixão pelo hip hop e pelo breaking com miúdos e adultos. Ele não é apenas um professor; Ele é um mentor, levando crianças a competições de dança e entrando sem medo em batalhas de dança. Todos os sábados, às 11h, você encontrará as aulas de quebra de energia de Adriel no estúdio.

Dançando ao lado de nomes renomados de todo o mundo, Adriel não para de aprender. Ele não é apenas um artista fantástico, mas também um coreógrafo habilidoso. Seu estilo de ensino é acolhedor e inclusivo, tornando mais fácil para qualquer pessoa participar de suas aulas e se sentir em casa.

De volta ao Brasil, Adriel levou equipes de dança aos holofotes e é parte integrante de uma equipe que molda a cultura da dança charme. Com sua energia contagiante e dedicação à dança, Adriel continua a inspirar e elevar dançarinos de todas as idades, deixando uma marca positiva na comunidade da dança.

Workshop de percussão AFRO-BRASILEIRA por Rubem Kurunga

18 de maio às 15h00

Quinta Vale da Lama / Projecto Novas Descobertas, Odiáxere

Transmitir a música Afro-Brasileira através de alguns ritmos de forma lúdica, está oficina é voltada para um público entre 14 e 70 anos e tem como objetivo principal introduzir ao mundo da percussão através de jogos e brincadeiras… a interação em grupo e a percussão estão conectados nesse workshop.

Sou Rubem Kurunga, Natural de Belo Horizonte, Brasil. Tenho graduação em Educação Musical na Universidade Izabela Hendrix – Minas Gerais. Master em Músicas do Mundo pela Escuela Europea Des Arts – Madrid – Espanha. Sou músico e Mestre da Escola de samba “GRES Cidade Jardim”. Sigo investigando grupos de Batucada Brasileira pelo mundo.

Mostra da Residência Artística de AORCA: vídeo dança por Alex Kovú

18 de maio às 16h00

Quinta Vale da Lama / Projecto Novas Descobertas, Odiáxere

” Não há caminho, o caminho faz-se caminhando. 

Na minha mão direita tenho a minha vulnerabilidade e na minha mão esquerda tenho a vida. Quando trago a minha mão direita para a minha esquerda e a seguro, uma deixa de ser distinta da outra. Nenhuma começa e nenhuma termina.

Ambas se fundem no meu coração e uma chama acende-se dentro de mim para guiar o meu caminho. Enquanto caminho, o caminho faz-se, e quando olho para trás, vejo o caminho que nunca mais será trilhado. “

Esta curta-metragem surge através de uma dança introspectiva e expressiva de emoções que emerge da amizade entre duas pessoas que se sentem “em casa” quando estão juntas. “Naked Row” refere-se a uma série de eventos que são apresentados com a intenção de capturar a essência do momento.  As imagens são influenciadas pelo trabalho xamânico de Irene Goikolea.

Alex Kovú é um artista emergente baseado no País Basco (Amalurra) e na Bélgica (Bruxelas). She/Them está a dar os primeiros passos como criadora audiovisual, tendo completado os seus estudos em artes performativas contemporâneas no P.A.R.T.S. há 5 anos.  Os seus interesses centram-se na observação do comportamento humano e no seu potencial espiritual. Nos últimos anos tem-se dedicado à educação física e emocional/filosófica para adquirir ferramentas como facilitadora. Atualmente define-se como performer, investigadora, bailarina e criadora.

Uma co-criação da Rede Europeia Creative Resilience Shapers

Dança e Teatro

18 de maio às 17h00

Quinta Vale da Lama / Projecto Novas Descobertas, Odiáxere

4 POWER OF FRAGILITY é um espetáculo de coprodução internacional de dança e teatro. A fragilidade do equilíbrio entre a biodiversidade e as desigualdades sociais é uma questão crucial que exige reflexão e ação profundas. Estes dois aspectos estão intimamente interligados e a mudança num deles pode ter profundas implicações no outro. O poder da arte performativa como agente de mudança social e cultural global é indiscutível e profundo. Em resumo, a arte performativa tem o potencial de transformar mentalidades, promover a empatia e a solidariedade e inspirar ações positivas para a mudança social e cultural global.

Produzido no âmbito do Projeto CREA-RE, cofinanciado pela União Europeia através do Programa Europa Criativa, projeto n.º 101095029. Uma coprodução realizada por Ijshaamanka/Dance In Company (Itália), AORCA (Portugal), Saine Ensemble (Finlândia) e Sala Fenix (Espanha).

Performance da Arte e Comunidade por Coro da Gente

18 de maio às 18h00

Quinta Vale da Lama / Projecto Novas Descobertas, Odiáxere

Um projecto artístico sócio cultural, um grupo coral aberto, uma família que se forma em torno da arte de cantar em grupo. Membros da comunidade residente no Barlavento Algarvio integram este grupo coral que nasceu em 2020 e que está em constante transformação. Conta com mais de 30 integrantes e 12 nacionalidades que interpretam um  eclético repertório de canções.

Mostra da Residência Artística de AORCA: projeto PLANTAR ÁGUA por Patrícia Lesage

18 de maio às 19h00

Quinta Vale da Lama / Projecto Novas Descobertas, Odiáxere

A água, berço de vida na terra. Elemento vital que se tem vindo a negligenciar e corre perigo nestas terras Algarvias. No anos 80 previam que em 2030 o Algarve seria uma extensão do deserto do Sahara, em 24 a barragem da Bravura está a menos de 17% da sua capacidade. Os governos locais ainda assim permitem monoculturas extensivas de abacateiros e continuam a apostar nos campos de golfe. 

As residências artísticas foram concebidas com o propósito de proporcionar um ambiente propício à criação, onde artistas talentosos da nossa região têm a oportunidade de desenvolver os seus projetos de dança com o apoio da AORCA. Com uma abordagem que valoriza a regeneração, a diversidade, a criação para o público jovem e a ecologia, procuramos fomentar uma interconexão entre arte e comunidade, promovendo um diálogo inspirador entre os criadores e o público.

Jam de CONTACT IMPROVISATION com a introdução e warm-up por Sofia Brito e com música ao vivo por Júnior

Dança (nível aberto)

18 de maio das 19h30 às 22h30

Quinta Vale da Lama / Dome, Odiáxere

Todos são bem-vindos a dançar e celebrar!

INSCRIÇÕES

Adquira o seu bilhete para assistir aos espetáculos VAMOS FALAR SOBRE e NÃO na bilheteira do Centro Cultural de Lagos ou através da plataforma online BOL!

O valor do bilhete é de 5€ por espetáculo.

A participação no Laboratório EQUILIBRIUM requer uma contribuição de 10€.

Todas as outras atividades do PRIMAVERA DANÇA são de acesso gratuito, porém, a participação requer uma inscrição prévia por meio do FORMULÁRIO .

O número de vagas é limitado.

Reserve já o seu lugar!

info@aorca.pt

Associação de Observação, Regeneração e Criação na Actualidade – AORCA

AORCA é uma estrutura financiada pela República Portuguesa – Cultura / Direção – Geral das Artes e Câmara Municipal de Lagos.

PRIMAVERA DANÇA conta com a colaboração do Instituto Apoio à Criança, CASLAS, Projecto Novas Descobertas, Quinta Regenerativa Vale da Lama, Projeto Gatilho, Questão Repetida, Urban Dance Studio, Santuka na Mata, Coro da Gente, Orla Design, Nome Próprio, Companhia Nacional de Espetáculos e Projeto CREARE da rede europeia Creative Resilience Shapers.